A Viação Nossa Senhora de Lourdes opera a maioria de suas linhas partindo do bairro da Penha para o centro do Rio de Janeiro, Méier e para a Tijuca.

Foto: reprodução da internet

Ainda no antigo Estado da Guanabara, atual Cidade do Rio de Janeiro, o então governador Carlos Lacerda decidiu fazer algumas reformas no sistema de Transportes. Através de uma resolução, estabeleceu que os proprietários de lotações se unissem em empresas.

Através do Decreto de Nº 318, criou no dia 29 de dezembro de 1960 a Comissão de Reestruturação da Superintendência de Transporte, objetivando a racionalização do sistema de transporte coletivo na Guanabara.
Com isso, muitas empresas foram absorvidas e outras foram criadas em grande quantidade entre os anos de 1961 e 1963.

Foto: Lotação Dodge – O Rio de Antigamente

Fundada em junho de 1962, a Viação Nossa Senhora de Lourdes entrou em serviço de transportes coletivos operando apenas três linhas:

Padre Nóbrega x Castelo

679 Grotão x Méier
* Linha de lotação operada desde 1949 com um Lotação Dodge e após a nova resolução se tornou linha de ônibus regular com a Viação Nossa Senhora de Lourdes.

622 Ramos x Praça da Bandeira via Saes Peña
* A linha 622 chegou a ter seu itinerário alterado para Ramos x Rodoviária, via Saes Peña

Foto: Reprodução da internet

Em 1971, novas mudanças surgem no setor de transportes da Guanabara, agora sob administração do governador Francisco Negrão de Lima.
Através de um decreto, apenas 57 empresas se mantiveram ativas. O objetivo principal dessa medida foi a diminuição dos custos operacionais, o aumento de capital, o melhor atendimento das exigências de instalação e operação desse serviço, e o maior rendimento do serviço de fiscalização

Foto: Reprodução da internet

Com isso, se estabeleceu um limite mínimo de 30 veículos na frota em um prazo de seis meses e em seguida estabeleceu a frota mínima em 60 veículos, levando a fusão/exclusão de novas empresas.
Para atender a essas exigências, a Viação Nossa Senhora de Lourdes adquiriu parte da frota e a linha da Viação Forte;

313 Olaria x Tiradentes (linha que teve origem na Viação Santa Clara)
* Sua atual garagem também foi adquirida da Auto Viação Forte que na época se transferiu para Irajá onde permaneceu até ser extinta. Atualmente a garagem da Rua da Citéria pertence à Viação Madureira Candelária.

S10 Meier x Maria da Graça da empresa Jardim Monteiro Transportes Coletivos.

Linha 37 da Estrela do Norte

Outra linha que a empresa adquiriu foi a 37 Penha x Praça Tiradentes, linha que teve origem na Viação Estrela do Norte. Atualmente a linha possui o código 312 e faz o trajeto Olaria x Candelária.

Onze anos após a sua fundação, o controle da empresa é passado do então diretor Fernando Morgado para o atual grupo de acionistas em fevereiro de 1973. Com isso, as três linhas, a garagem em del Castilho, os 300 funcionários e a frota composta de 67 coletivos passou a ser administrada pelo Sr. Salviano Valente.

A garagem em Del Castilho foi passada para Colúmbia Auto Ônibus, extinta nos anos 80. Atualmente a garagem serve à empresa Expresso União, que opera no segmento de turismo e fretamento.

Foto: Reprodução da internet

Em 1988, a sociedade passou a contar com a Transportes Santa Maria e, em 1996, a sociedade foi novamente dividida, ficando parte dos sócios com a Santa Maria e outros 4 com a Lourdes.

Foto: Reprodução da internet

Em fevereiro de 1994, a superintendência municipal de transportes urbanos publica novos padrões técnicos para o transporte municipal. As consequências imediatas foram bastante visíveis:
O início das capelas auxiliares de vista (laterais, traseiras e frontais);
A mudança da posição da roleta e a abolição do curral;
A numeração passou a ser grande e o chamado “crachá”.

Foto: reprodução da internet

Desta forma, os veículos com motor dianteiro passaram a ser denominados Urbano Rio I, enquanto os com suspensão a ar e motor traseiro ou central, Urbano Rio II. Com essas mudanças, foi implantado um novo serviço, o dos corredores expressos da Zona Oeste (faixa seletiva da Avenida Brasil) e o da Zona Sul (Centro x Leblon, com faixas exclusivas entre Copacabana e o Leblon)

Em março de 2006, a Lourdes assumiu as linhas 661 e 662, que vinham sendo operadas  pela Caprichosa.
Em fevereiro de 2016 as linhas 661 Méier x Maria da Graça e 662 Maria da Graça x Méier foram extintas pelo consórcio. Com essa mudança a linha 673 Parada de Lucas x Méier passou a ser Parada de Lucas x Penha.

Durante as obras de reforma e ampliação da garagem sede em 2010, foram encontrados trilhos, dormentes e ferragens. Na área onde hoje se encontra a garagem há recordações do que era originalmente o pátio de manobras da Estação Penha Circular, nome dado exatamente porque neste local os trens faziam a volta para retornar à Estação Leopoldina. A empresa, preservou esses objetos como parte de sua memória.

 

Foto: Édipo Henrique

Em novembro de 2010, novas regras foram adotadas no sistema de transporte por ônibus na Cidade do Rio de Janeiro. Entre as exigências, além da identificação das frotas por cores padrão, estão a implantação de câmeras de vídeo, tacógrafos eletrônicos e o uso do rastreador GPS para acompanhar a movimentação da frota.

Foto: Reprodução da internet

Os ônibus municipais foram divididos por quatro grandes áreas, administradas por quatro diferentes concessionárias. Cada uma delas com detalhes em uma cor predominante na frota:
Zona Oeste > Consórcio Santa Cruz – vermelho
Região da Barra e Jacarepaguá > Consórcio Transcarioca – azul
Zona Sul e Centro > Consórcio Intersul – amarelo
Zona Norte > Consórcio Internorte – verde
A Viação Nossa Senhora de Lourdes é a empresa líder do Consórcio Internorte.

Hoje, 55 anos após a sua fundação, muitos acontecimentos mudaram o rumo da empresa e a colocaram no caminho do crescimento. Novas linhas foram adquiridas, outras modificadas e, atualmente, atendem a Leopoldina, Méier, Tijuca, Saes Peña e Centro do Rio,  fazendo trajetos alternativos que fogem dos trechos de grandes engarrafamentos.

Foto: Reprodução da internet

Exemplo de sua arrojada atuação, enquanto empresa prestadora de serviços de transporte, mas que sempre se manteve atuante junto à comunidade, a rua onde hoje estão localizadas suas garagens leva o nome daquele que foi um de seus principais acionistas – Salviano Valente –, e responsável direto por grande parte das ações que possibilitaram o crescimento da empresa.

Linhas de Ônibus operadas

312 Olaria x Candelária via São Cristóvão
313 Penha (Grotão) x Praça da República via São Cristóvão
621 Penha x Saens Peña via Mangueira
622 Penha x Saens Peña via Grajaú
623 Penha x Saens Peña via Túnel Noel Rosa
628 Nova América x Penha via AV Suburbana
625 Olaria x Saens Peña via Méier
679 Meier x Grotão via Maria da Graça

Linhas Extintas e inativas

279 Castelo x Padre Nóbrega
312B – Ramos x Bonsucesso
661 Meier x Maria da Graça (Via Norte Shopping – Circular)
662 Meier x Maria da Graça (Via Del Castilho – Circular)
932 Hospital Universitário x Penha

Referências bibliográficas: Cia de Ônibus, Busologia do RJ, Fichas de Ônibus, Mobilidade Fluminense, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, O Rio de Antigamente, Rotas Fluminenses, Chopp Duplo.